Associação de Professores(as) de Filosofia e Filosófos(as) do Estado de São Paulo

A sua opinião é importante para nós.

Quero fazer um pedido URGENTE aos componentes da Diretoria atual da APROFFESP: devido a esse ataque atual do MEC, do Ministro da Educação e do Conselho Federal da Educação, que essa página seja atualizada, sempre e o mais rápido possível!!! Não podemos ser e estarmos desatentos a esta questão! Pois a nossa profissão está correndo perigo! Um possível desemprego bate às nossas costas! Se isto acontecer estaremos nos juntando aos 12 milhões de desempregados já existentes atualmente! Levando-se em conta que é uma profissão federal, seria um prejuízo irreversível a curto prazo! Antes disso, devemos denunciar que é inadmissível ouvir, da boca do próprio Ministro da Educação, que o motivo da crise dos Estados e Municípios, é a Educação! E, ainda mais, porque os professores têm muitos privilégios, que precisam ser lhes retirado, tipo férias de 45 dias; Aposentadoria Especial, Piso Nacional Salarial! Mas, além dessa afronta, esse atual Ministro da Educação ainda culpa os professores pelos péssimos índices estaduais e nacionais do IDEB. Porém, senão bastasse toda essa basofia, ainda indica quatro disciplinas, atuais, como motivo, dessa péssima atuação da educação nacional, são elas: Educação Física; Educação Artística, a Sociologia e a Filosofia! Ora, não podemos ficar quietos nessa hora e dizer em alto e bom som: o IDEB atual só alcançou estes patamares auferidos, ainda que pequenos e muito abaixo das Metas, devido à presença destas disciplinas, em meio as outras, senão estariam muito piores! Então, o problema educacional brasileiro não está nas disciplinas, e, sim, na falta de investimentos em educação e na melhoria das condições de trabalho, como por exemplo, diminuição de alunos por sala, diminuição da carga horária de trabalho semanal de cada professor, valorização na carreira do professor que continua estudando, convênios com universidades públicas estadiais e federais com vista a garantir cursos de Pós-graduação, Mestrado e Doutorado, para um percentual de professores e professoras, anualmente, melhores condições salariais dos profissionais da educação garantidos com a exploração do petróleo do Pré-sal!!! Um grande abraço a todos!!! VAMOS ATUALIZAR ESTA PÁGINA!!! VAMOS ATUALIZAR ESTA PÁGINA, VAMOS ATUALIZAR ESTA PÁGINA!!!
 
Data de postagem: 01 Outubro 2016
Postado por: Valdenir Abel dos Santos
Prioridade normal PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO APROVADO LEI Nº 16.279, DE 8 DE JULHO DE 2016

Destaques, entre asteriscos, são intuições de contribuições da APROFFESP para propor à FIPESP/SEE sobre:

LEI Nº 16.279, DE 8 DE JULHO DE 2016 Aprova o Plano Estadual de Educação de São Paulo e dá outras providências

Meta 6 – Garantir educação integral em todos os níveis e modalidades de ensino e assegurar educação em tempo integral em, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) das escolas públicas, de forma a atender a, pelo menos, 25% (vinte e cinco por cento) dos alunos na educação básica
Estratégias
*PROFESSORES APROFFESP SUBSUDIAR A PARTIR DA PAIDEIA de JAEGER, W.*
6.1. Garantir educação integral a todos os alunos da educa- ção básica, promovendo a elaboração de currículo que amplie as oportunidades formativas, propiciando o desenvolvimento pleno das crianças, adolescentes e jovens, a partir de suas interações com conhecimentos, valores e culturas.
6.2. Estimular o protagonismo dos educandos por meio de estratégias e metodologias curriculares, que integrem conhecimentos, competências e habilidades, contemplando seu desenvolvimento integral.
6.3. Garantir consonância entre as políticas de educação integral e o Projeto Político Pedagógico de cada unidade escolar, orientando-se pelos princípios democráticos e participativos.
6.4. Fomentar estratégias e metodologias de aprendizagem que aproximem a escola da comunidade, permitindo ao aluno conhecer e explorar o contexto no qual está inserido, aumentando o entendimento da escola como referência significativa na formação integral dos jovens.
6.5. Fortalecer estratégias de fixação dos docentes nas escolas, de forma a estimular a continuidade dos programas de educação integral.
6.6. Garantir a infraestrutura necessária para o atendimento da educação em tempo integral, no que se refere a espaços, laboratórios, salas de leitura, equipamentos de informática e recursos didático-pedagógicos.
6.7. Estimular, em regime de colaboração, a apropriação dos espaços e equipamentos públicos e privados, articulando ações entre esses e as escolas, de forma a viabilizar a extensão do tempo de permanência do aluno em atividades correlacionadas ao currículo.
6.8. Garantir ações formativas aos professores que atuam em jornada ampliada, de forma a capacitá-los para atuação nos variados modelos pedagógicos e de gestão adotados para o atendimento dos alunos da educação básica em tempo integral.
6.9. Garantir, com o apoio da União, a oferta de educação básica pública em tempo integral, por meio de atividades de acompanhamento pedagógico e multidisciplinares, inclusive culturais e esportivas, de forma que a permanência dos alunos em tempo integral na escola, ou sob sua responsabilidade, passe a ser igual ou superior a 7 (sete) horas diárias durante todo o ano letivo.
6.10. Atender às escolas do campo e de comunidades indí- genas e quilombolas na oferta de educação em tempo integral, com base em consulta prévia e informada, considerando-se as peculiaridades locais.
6.11. Oferecer a educação em tempo integral para pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação na faixa etária de 4 (quatro) a 17 (dezessete) anos, assegurando atendimento educacional especializado complementar e suplementar, ofertado em salas de recursos multifuncionais da própria escola ou em instituições especializadas.
6.12. Promover a articulação dos programas da área da educação, de âmbito local, regional e nacional, na perspectiva intersetorial da gestão pública, constituindo rede de proteção social para crianças, adolescentes e jovens

Meta 17 – Valorizar os profissionais do magistério das redes públicas de educação básica de forma a equiparar, no Estado, até o final do sexto ano de vigência do PEE, seu rendimento médio ao dos demais profissionais com escolaridade equivalente.
Estratégia
*PROFESSORES APROFFESP 'DECANOS' SUBSIDIAR DISCUSSÃO*
17.1. Valorizar os profissionais do magistério das redes públicas de educação básica, de forma a equiparar o rendimento médio dos profissionais que atuam nas diferentes redes de ensino.
17.2. Fixar vencimentos ou salário inicial para as carreiras profissionais da educação, de acordo com a jornada de trabalho definida nos respectivos planos de carreira, devendo os valores, no caso dos profissionais do magistério, nunca serem inferiores ao do Piso Salarial Profissional Nacional, diferenciados pelos níveis das habilitações a que se refere o artigo 62 da Lei Federal nº 9.394/1996, vedada qualquer diferenciação em virtude da etapa ou modalidade de atuação do profissional.
17.3. Assegurar condições adequadas ao trabalho dos profissionais da educação, visando prevenir o adoecimento e promover a qualidade do ensino.
17.4. Instituir apoio técnico que vise a melhorar as condições de trabalho dos educadores e erradicar e prevenir a incidência de doenças profissionais.
17.5. Promover a participação de todos os atores da comunidade escolar para estudar as condições de trabalho e prover políticas públicas voltadas ao bom desempenho profissional e à qualidade dos serviços educacionais prestados à comunidade.
17.6. Regulamentar, nas redes públicas, até 2020, adequada relação numérica professor-estudante, respeitados: os parâmetros definidos pelas autoridades sanitárias, as diretrizes pedagógicas, os diferentes níveis e modalidades de ensino e a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais.
17.7. Instituir, em cada esfera, estratégia e ações para assegurar o acesso dos profissionais da educação ao atendimento médico de qualidade.
17.8. Ampliar a política e a formação dos profissionais que atuam nas escolas do sistema público estadual de educação na mediação de conflitos.
17.9. Instituir comissão paritária prevendo a participação de todos os atores da comunidade escolar para estudar as condições de trabalho e propor políticas públicas voltadas ao bom desempenho profissional e à qualidade dos serviços educacionais prestados à comunidade.
17.10. Realizar a revisão salarial anual dos vencimentos ou salários iniciais e das remunerações da carreira, na data-base, de modo a preservar o poder aquisitivo dos educadores, nos termos do inciso X do artigo 37 da Constituição Federal.

Meta 19 – Assegurar condições, no prazo de 2 (dois) anos, a partir da aprovação do PEE, para a efetivação da gestão democrática da educação, associada a critérios técnicos e à consulta pública à comunidade escolar, no âmbito das escolas públicas, prevendo recursos e apoio técnico da União.
Estratégias
*PROFESSORES APROFFESP SUBSUDIAR DISCUSSÃO REF. DEMOCRACIA*
19.1. Estabelecer, no prazo de 2 (dois) anos, legislação própria que regulamente a gestão democrática no âmbito dos sistemas de ensino.
19.2. Favorecer processos de autonomia pedagógica, administrativa e de gestão financeira nos estabelecimentos de ensino da rede pública estadual, por meio de legislação estadual específica.
19.3.Garantir que o provimento do cargo de Diretor das escolas públicas da rede estadual dar-se-á por critério meritório, conforme previsto na Constituição Federal – por concurso público de provas e títulos – para professores de carreira.
19.4. Fomentar a expansão da oferta dos programas de apoio e formação aos conselheiros dos conselhos de acompanhamento e controle social do FUNDEB, conselhos de alimentação escolar, conselhos regionais, conselhos municipais e outros, e aos representantes educacionais em demais conselhos de acompanhamento de políticas públicas, garantindo apoio administrativo, técnico, espaço físico adequado, equipamentos e meios de transporte para visitas à rede escolar, com vistas ao bom desempenho de suas funções.
19.5. Fomentar a participação e a consulta de profissionais da educação, alunos e seus familiares na formulação dos projetos político-pedagógicos, currículos escolares, planos de gestão escolar e regimentos escolares, assegurando a participação dos pais na avaliação de docentes e gestores escolares.
19.6. Promover a participação dos profissionais da educação e demais segmentos na elaboração e no planejamento, execução e avaliação do projeto político-pedagógico da escola e da rede de ensino pública.
19.7. Estimular, em todas as escolas, a constituição e o fortalecimento de grêmios estudantis e associações de pais e mestres, assegurando–lhes, inclusive, espaços adequados e condições de funcionamento e fomentando a sua articulação orgânica com os conselhos escolares, por meio das respectivas representações.
19.8. Estimular, aperfeiçoar e fortalecer espaços de participação na gestão democrática da educação, assegurando a representação de professores, pais, estudantes, funcionários e sociedade civil organizada.
19.9. Implementar, assegurar e fortalecer as relações entre escola, família e sociedade, objetivando maior desenvolvimento nos espaços democráticos de discussão.
19.10. Adequar, no prazo de 2 (dois) anos a partir da promulgação deste PEE, a composição do Conselho Estadual de Educação, garantindo a participação dos diversos segmentos da comunidade educacional.

Meta 21 – Viabilizar um novo modelo de formação para os profissionais da Secretaria da Educação, visando ao exercício do magistério e/ou das atividades relacionadas à gestão da educação básica, considerando os Quadros dos Servidores, a saber: Quadro do Magistério – QM, Quadro de Apoio Escolar – QAE e Quadro de Suporte Escolar – QSE, de acordo com a estrutura vigente.
Estratégias
*PROFESSORES APROFFESP 'DECANOS' SUBSIDIAR DISCUSSÃO*
21.1. Desenvolver, em articulação com o Conselho Estadual da Educação e instituições de ensino superior, estudos e pesquisas que resultem em propostas de ações voltadas à formação inicial e continuada para os profissionais da rede estadual.
21.2. Oportunizar, em articulação com o Conselho Estadual da Educação e instituições de Ensino Superior, ações de formação inicial para o magistério, visando à proposição de novos cursos e licenciaturas, em consonância com as diretrizes curriculares e os resultados das avaliações.
21.3. Ofertar ações de formação continuada, visando o aprimoramento dos servidores pertencentes ao Quadro do Magisté- rio, considerando suas necessidades específicas de atualização e, em articulação com as instâncias responsáveis, proporcionar ações de melhoria da gestão pedagógica do processo de ensino e aprendizagem.
21.4. Incorporar, regularmente, as inovações na gestão administrativa e ofertar com regularidade ações de formação continuada, visando o aprimoramento da atuação dos servidores do QAE e QSE.
21.5. Garantir, nas ações de formação continuada, a oferta de cursos e programas de educação à distância, buscando a melhor abordagem, formato e modelo, de acordo com a concep- ção pedagógica de cada ação de formação e desenvolvimento profissional;
21.6. Atualizar, institucionalizar e disponibilizar infraestrutura e tecnologias de ensino presencial, semipresencial e à distância para as ações de formação dos educadores e demais profissionais da educação.
21.7. Planejar, gerenciar e executar ações de formação continuada, com foco no aprimoramento de todos os níveis de gestão da Secretaria da Educação e de todas as atividades meio, fins, serviços, programas da educação estadual pública.
21.8. Planejar, gerenciar e executar ações e programas de formação continuada, com foco no Currículo Oficial do Estado de São Paulo, na gestão da sala de aula e liderança, em articula- ção com os resultados de aprendizagem dos alunos.
21.9. Desenvolver, em articulação com órgãos de fomento e regulação do Ensino Superior, estudos e pesquisas, que resultem em propostas de ações voltadas à formação em pós-graduação, “lato” e “stricto sensu”, visando atender os servidores que atuam na rede estadual pública.
21.10. Oportunizar ações de formação em nível de pós-graduação, “lato” e “stricto sensu”, visando atender os servidores que atuam na rede estadual pública.
21.11. Realizar ações de formação continuada que articulem o ensino e a aprendizagem na educação básica a programas de pós-graduação, inclusive “stricto sensu”, de modo a firmar um ciclo virtuoso entre a formação, currículo, avaliação e as necessidades da rede estadual de ensino.
21.12. Estimular e desenvolver linhas de pesquisa e disseminar resultados que atendam às necessidades da rede estadual de ensino, no que diz respeito ao desenvolvimento de competências e habilidades do professor associadas à aprendizagem dos conteúdos dispostos no Currículo Oficial do Estado de São Paulo, contemplando as quatro áreas de conhecimento (Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Linguagens), com base nos indicadores, tais como SARESP, IDESP, IDEB e PISA.
21.13. Estimular e desenvolver linhas de pesquisa que atendam às necessidades da rede estadual de ensino, no que diz respeito ao desenvolvimento de competências e habilidades do gestor, com foco no aprimoramento de lideranças, que efetiva e eficazmente contribuam com o processo de ensino e aprendizagem, tendo como referência, inclusive, as diretrizes estabelecidas na política educacional.
 
Data de postagem: 13 Julho 2016
Postado por: Prof Marcos Rubens Ferreira
Boa noite,

Já conhecia esta entidade e inclusive tentei me associar a mesma, no entanto não obtive retorno.
O site o qual conhecia era http://aproffesp.blogspot.com.br/ ,que me parece, não estar atualizado.
Houve mudanças?
Por que não há divulgação junto as escolas sobre vocês?
Esta entidade é aberta aos professores de filosofia?
Podemos nos associar?
Seria importante, todos nós, que lecionamos filosofia em escola pública, participar de discussões sobre a substituição por conteúdos significativos nas apostilas do governo entre outras.
 
Data de postagem: 10 Junho 2016
Postado por: Mary Angel Carazza
Este espaço é muito importante para a comunicação entre os professores de filosofia e a APROFFESP.
 
Data de postagem: 28 Janeiro 2016
Postado por: José Carlos

<< Anterior 1 Próximo >>

Página 1 de 1


Enviar um comentário
* Campos de preenchimento obrigatório
Nome:*
Email:*
Código de segurança:
Envie-nos o seu comentário abaixo:*
© 2012 APROFFESP. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Please publish modules in offcanvas position.